quarta-feira, 30 de março de 2011

sábado, 26 de março de 2011

sexta-feira, 11 de março de 2011

Philip K. Dick no cinema

Philip K. Dick é um daqueles autores de ficção científica cujas histórias imploram para ser transformadas em filmes. Este autor é perito em brincar com a realidade, com o que acontece e com o que nós, leitores, pensamos que está a acontecer.
Normalmente as histórias não são adaptadas directamente, os argumentistas capturam os ambientes, emoções e algumas cenas que aparecem nos livros mas não tocam nas histórias propriamente ditas.
O grande exemplo disto é Blade Runner. Os argumentistas David Peoples e Hampton Fancher e o realizador Ridley Scott apenas usaram os nomes das personagens e o ambiente do livro "Do Robots Dream Of Electric Sheep?" para o filme. Por exemplo, no livro, o protagonista, Rick Deckard era casado e tinha alguns animais robóticos, o que não acontece no filme.
Mas adiante, este artigo vem na sequência da estreia em Portugal do último filme baseado numa história deste autor, Adjustment Bureau. O título português é: Os Agentes do Destino (WTF?!?)
Deixo aqui alguns dos filmes baseados em histórias do mestre Philip K. Dick...

Blade Runner


O filme da vida de muito boa gente (incluindo da minha), a estética é simplesmente irrepreensível, a história agarra o espectador e não há nenhum erro de casting.
Este filme é responsável pelo movimento cyberpunk em que se tenta capturar a estética do filme e a  alienação e solidão que a tecnologia causa.
Este foi o primeiro grande papel de Harrison Ford depois de Star Wars, a New Hope.



Total Recall


Em português chama-se "Desafio Total". É baseado no livro "We Can Remember it for you Wholesale" e conta a história de um agente secreto que já não se lembra que o é. Passa-se na colónia humana em Marte que é explorada por um bando de mafiosos.
"Give these people air" é a frase mais conhecida que é gritada por Arnold Schwarzenegger, o protagonista, com aquele "inglês germânico" típico.
Apesar de ser posterior a Blade Runner, a estética e os efeitos são dignos de um filme série B. Ainda assim é um filme muitíssimo divertido de ver.



Minority Report

Um dos poucos filmes em que o título é o mesmo da história que lhe dá origem, conta a história de um futuro em que os crimes são detectados antes de acontecerem. O filme foi realizado por Steven Spielberg e tal como em todos os filmes de Spielberg, no fim, vivem todos felizes para sempre. O protagonista é Tom Cruise.



A Scanner Darkly


Este é um dos filmes mais fiéis à história de Philip K. Dick. Conta os dilemas e desventuras de um polícia que está infiltrado numa rede de tráfico de droga.
Os protagonistas são Keanu Reeves, o senhor Matrix, e Robert Downey Junior, o Homem de Ferro.
Este filme usa uma técnica em que depois de filmadas as cenas com os actores humanos, as imagens são transformadas em animação 3D usando um computador.



Paycheck

Este filme, realizado por John Woo, conta a história de um engenheiro que descobre como é que a tecnologia funciona e depois é pago para se submeter a um processo em que a sua memória é apagada para que não consiga transmitir esses conhecimentos a outras pessoas.
Tal como outros filmes deste realizador, também Paycheck foi transformado num filme de acção que é considerado pela maioria dos fãs de Philip K. Dick a pior adaptação de uma história deste autor. O actor principal, Ben Affleck, também não ajuda nada...



Impostor

Um cientista cria uma arma infalível que dará à humanidade vantagem na guerra interminável que trava contra invasores extraterrestres.
Faz lembrar um pouco "O Candidato da Manchúria", porque o vilão não sabe que o é. Com Gary Sinise, o inspector Mac Taylor de CSI Nova Iorque.

Just This Last Job


Por: Filip Novy
País: República Checa
Original aqui.

terça-feira, 8 de março de 2011

A evitar...

...o filme Skyline.
É uma história que vai buscar muito aos relatos de raptos de pessoas por extraterrestres, mas aqui em vez de serem episódios esporádicos, os raptos são feitos em larga escala. Infelizmente, tal como em 2012, a história foi construida para os efeitos e não o contrário.
Os actores são maus (estou a ser simpático) e a falta de coerência é de tal forma grande que o último quarto do filme demorou 4 horas a passar!


A que é que cheira o espaço?

Apesar do espaço ser essencialmente vácuo, os astronautas que regressam para as respectivas naves e para a estação espacial internacional falam num cheiro intenso que emana dos seus fatos espaciais.
Dizem que este cheiro se parece muito com uma mistura de gasolina queimada, metal em fusão e churrasco.
Segundo cientistas que estudaram este fenómeno, o aroma deve-se à combustão que ocorre dentro das estrelas. Nesta reacção são produzidos hidrocarbonetos aromáticos policíclicos. Estes compostos estão presentes em quase tudo o que povoa o espaço como cometas, meteoritos e poeira espacial. Mas também se encontram no petróleo, carvão e na comida.
Outra razão para que o cheiro seja especialmente forte no nosso sistema solar é o facto de ser muito rico em carbono e pobre em oxigénio.



segunda-feira, 7 de março de 2011

O nosso Sol está zangado


Isto apareceu nas notícias, mas aqui podem ver em alta definição.

Genéricos de 4 séries de ficção científica antes e depois

Uma das coisas mais importantes de uma série de TV, seja de que tipo for, é o genérico. Isto porque é o BI daquilo que se quer transmitir ao telespectador. Um bom genérico faz uma série.
Tal como a forma de se contar a história, também os genéricos são fruto da época em que foram feitos. Como hoje em dia os remakes estão na moda, veja aqui os originais e depois as versões modernas:

Battlestar Galactica

As aventuras de Apollo, Adama e Starbuck marcaram os anos 80 e o genérico cheio de penteados esquisitos e muitas miniaturas. Era do mais avançado que se fazia naquela altura...


... a versão moderna usa um método de filmagem muito parecido com um vídeo caseiro em que a câmara e a lente nunca estão quietas. O Starbuck é uma mulher (vá-se lá saber porquê), e os personagens que antes era heróis livres de qualquer pecado agora são gente como nós. Cheios de vícios e defeitos.


Doctor Who

Provavelmente a série de Ficção Científica que há mais tempo passa nas TVs de todo o mundo. O primeiro episódio foi emitido em 1963. Há um abismo entre o genérico original e as séries dos anos 2000, como seria de esperar.


Star Trek

Não foi feito nenhum remake da série original de Star Trek, aquela com Kirk e Spock, mas consegue ver-se a evolução da série original para a Next Generation dos anos 90.


Em Next Generation as palavras são as mesmas, mas ditas de uma forma muito mais calma por Sir Patrick Stewart.


V
Toda a gente já sabe que os V são lagartos que vieram para conquistar a humanidade. Esta minisérie de sucesso do anos 80 tinha um genérico... estranho...


...a nova série não tem genérico, por isso aqui fica o promo...

terça-feira, 1 de março de 2011

AT-ATs redesenhados

Os AT-AT que apareceram no episódio V de Star Wars, O Império Contra Ataca são excelentes para fazer brincadeiras. Vejam só os redesenhos de alguns designers.


Mais aqui.

A ler...

Metro 2033 de Dmitry Glukhovsky.
Esta é a história que deu origem ao jogo vídeo com o mesmo nome.
Passa-se em Moscovo no ano 2033, depois de uma guerra que obrigou os sobreviventes a refugiarem-se no metro da cidade. Agora, para além da radiação e dos animais mutantes há uma nova ameaça que pode acabar de vez com a humanidade.
Edições Gaialivro